Quinquilharia para alguns, maravilhas para outros #2 A minha experiência com a Bimby

terça-feira, 17 de setembro de 2019
Já existem 6 gerações de Bimby e o meu primeiro contacto já foi com o modelo TM21, em casa de familiares e de amigas que tinham este robot. E eu claro que gostava de ficar a ver como funcionava! Sempre achei que existiam mais vantagens do que desvantagens e por isso tive sempre vontade de adquirir uma. Em 2016, sem eu contar, ofereceram-me uma Bimby, a TM5.
E foi aí que a aventura começou.

A demonstradora veio cá a casa e mostrou algumas funcionalidades. Claro que me pareceu tudo muito bem e com ela saiu tudo saboroso e com excelente aspeto. O conselho que ela me deu foi que, numa primeira fase, experimentasse receitas dos livros ou revistas para conhecer melhor as características da maquina. E foi aqui que eu errei logo. É que comecei logo a tentar adaptar as minhas receitas à Bimby e confesso que o início foi um pouco desastroso!

Depois desse arranque tremido, fiz então algumas receitas tal e qual como estavam explicadas e só depois é que comecei a adaptar receitas. É engraçado como a aquisição ou a possibilidade de aquisição de um robot de cozinha gera conversas e às vezes até discussões entre as pessoas. A mim quando me perguntam se vale a pena comprar uma Bimby tenho sempre muita dificuldade em responder. Primeiro porque acho que é uma resposta muito pessoal e que tem muito a ver com o estilo de vida de cada pessoa, com a relação que tem com a cozinha e com as possibilidades económicas.

De um modo geral, posso-vos falar das principais vantagens e desvantagens que eu vejo nela.

Vantagens:
- Rentabilizar o tempo enquanto a confecção decorre.
- Possibilidade de fazer receitas simples e rápidas para quem não tem jeito ou não gosta de passar muito tempo na cozinha.
- Começamos a cozinhar coisas que à partida compraríamos como molhos, recheios, iogurtes, sumos, açúcar em pó, pão ralado. Mais saudável e mais barato.
- Cozinhar várias coisas ao mesmo tempo.
- Reduzir o número de pequenos eletrodomésticos ou utensílios de cozinha (balança, batedeira, liquidificado, pass vite.

Desvantagens:
- Preço
- Não permite cozinhar para muitas pessoas. Acredito que mais do que 4 doses deve ser difícil. Pelo menos é a minha experiência.

Tendo em conta a minha experiência pessoal, acho que entre as principais vantagens que tem para mim são:

- Tempo: quando faço sopas, rentabilizo bastante o tempo. Basicamente é meter os legumes todos cortados para dentro do copo, acrescentar a água e tempero e colocar a fazer. Praticamente com apenas dois passos, temos a sopa feita. E não é preciso ficar a controlar nada. Enquanto os legumes cozem aproveito sempre para fazer outras coisas.

- Dinheiro: claro que eu gosto de comer fora e que adoro experimentar sítios novos. Mas se há coisa que comecei por gostar de comer fora de casa mas que agora faço regularmente na Bimby, são panquecas e molho inglês para acompanhar tostas ou os maravilhosos ovos Benedict. É uma diferença gigante se compararmos o dinheiro gasto na aquisição dos ingredientes e o dinheiro gasto se comermos isto fora. E isto são só dois exemplos onde podem poupar dinheiro. Porque se começarmos a aprofundar o tema pode-se poupar em muito mais. Gelados, bolachas caseiras, sumos, smoothies, molhos, caldos, patés, manteigas e muito muito mais.
E se quisermos explorar mais o tema da poupança ainda podemos acrescentar as inúmeras entradas e sobremesas que podemos fazer e utilizar quando somos convidados para um jantar e temos de levar alguma coisa. Se tivermos disponibilidade de tempo melhor é fazer na Bimby e poupar na carteira.
Número de eletrodomésticos necessários: tirando a batedeira (que já escrevo sobre isso mais à frente), com a Bimby não precisei de adquirir  balança, pass vite, liquidificadora e varinha mágica.

- Cozinhar várias coisas ao mesmo tempo: dependendo da receita, podemos cozinhar por andares na Bimby. Normalmente quando faço sopa, aproveito para cozer legumes na varoma. Mas até podemos estar a cozinhar no copo uma carne e fazer batatas ou arroz na varoma.

- Facilidade: fazer puré, triturar, ralar, pulverizar, derreter, passaram a ser tarefas super fáceis de fazer.

Mas como nem tudo são vantagens, acho que entre os pontos menos positivos para a minha utilização, destaco:

- Preço: a mim foi-me oferecida, mas se não tivesse sido, teria de ter mesmo a certeza que a iria rentabilizar para valer o investimento. E continuo a achar que, apesar de eu reconhecer as utilidades deste robot de cozinha, é um valor exagerado.

- Capacidade: quando quero fazer sopa para mais tempo ou comida para seis pessoas já tenho, na maioria dos casos, de fazer duas vezes a mesma receita.

- Batedeira: por muito que me ensinem a utilizar a função de batedeira eu não atino com aquilo. Continuo a ter muita dificuldade em bater natas. E quando tento adaptar receitas, principalmente de bolos, falho muitas vezes porque não consigo ajustar o tempo e a velocidade. E isto relaciona-se com outra desvantagem.

- Tampa do copo fechada: gostava que a tampa do copo fosse transparente porque, principalmente no que toca a confecionar doces, eu falho muito quando não estou a ver em que ponto estão os ingredientes. E depois também não quero estar sempre a interromper o processo porque pode prejudicar a receita. É quase como estar sempre a abrir o forno quando estamos a cozer um bolo.

Em resumo, isto é mesmo uma opinião muito pessoal. E no meu caso, apesar de a Bimby me ter sido oferecida, já a rentabilizei o suficiente para compensar o valor que ela custa.
Só não a rentabilizo mais porque sou daquelas pessoas que adora cozinhar num tacho e estar sempre de colher de pau na mão a ver a evolução da coisa e a provar.



Sem comentários:

Publicar um comentário