6ª Edição Rota das Tapas - Porto

sexta-feira, 21 de outubro de 2016
Ontem, ao final da tarde, eu e mais três amigos decidimos contrariar os finais de dia monótonos típicos da semana de trabalho e pegámos num mapa da Rota das Tapas no Porto e fomos à aventura!

Esta é a 6º edição e aplica-se a todos os que gostam de petiscar e conhecer vários sítios na cidade do Porto (e não só!). Patrocinada pela Estrella Damm, em 20 espaços é possível comer uma tapa e beber uma cerveja por 3€. Ainda têm até dia 23 de Outubro a oportunidade de usufruir deste preço e cardápio simpático!

Por norma, cada edição tem um tema, mas nesta o tema era livre. Decidimos escolher quatro sítios e o 1º que visitámos foi o Entretanto Bar Bistrô. Nunca tínhamos ido lá e não foi fácil dar com com ele porque não tem o nome bem visível. Ao entrar pedimos logo o mapa da rota que trás também um passaporte ao qual adicionamos carimbos à medida que vamos petiscando nos diferentes locais. Apesar de estarmos a tapear levaram-nos a sentar numa mesa e o dono falou-nos um pouco do conceito da rota e também do próprio estabelecimento. Três de nós não queríamos a cerveja, e o senhor não gostou muito disso porque há todo um investimento por trás. Os estabelecimentos incluídos na rota têm de fazer um investimento em cerveja Estrella Damm e claro que depois não querem ficar com ela em stock. Ele explicou-nos que só abria excepção a grávidas e a pessoas a fazer medicação mas lá acabou por ceder e pedimos água.
Este bar/restaurante tem uma agenda interessante. Para os que gostarem de se aventurar com o microfone ou instrumento na mão é só escolherem uma quarta-feira e irem até lá porque é-vos dada a oportunidade de subir ao palco e mostrar o vosso talento. Música ao vivo à sexta e ao sábado e vão ter uma festa no Haloween.
Pedimos para ver o menu porque como só íamos comer a tapa queríamos ficar a saber o que havia mais por lá para uma próxima visita. São especialistas em folhados feitos em forno de pedra eléctrico, têm pelo bife Wellington e é possível marcar jantares de grupo até 25 pessoas.
Entretanto chegou a tapa: a Caixinha Entretanto. Era pão ciabata recheado de bacon, chouriço, espinafres, queijo e ovo que foi levado ao forno. 
A opinião foi unânime e gostámos bastante. O ovo estava bem confeccionado e permitia ser picado com o garfo para depois a gema líquida se espalhar com o restante. Os pontos menos bons foram o fato de o pão estar um pouco duro nas pontas, o que é normal por este ser pequeno e bem cozido. Nada que uma mão e uma boa dentada não resolvessem.
Ficámos com muita vontade de voltar lá, mas para jantar.



1º carimbo conseguido e calmamente fomos até ao restaurante O Caçula. O espaço era bastante cuidado, e apesar de ficarmos cá fora, os aquecedores que têm não nos fizeram sentir frio algum.
A tapa chamava-se Trio de Outono e era uma combinação de cogumelo recheado com tomate, pesto, mozarela e três enchidos. Estava boa e o sabor que mais se sentia era o pesto. Não gosto de morcela por isso não provei esse enchido. O que ficou a faltar foram mesmo umas tostas ou um pouco de pão para absorver o molho que acabou por ficar no prato. Gostámos, mas estávamos à espera de mais!


A tasca das Tapas foi o 3º espaço escolhido. O espaço é muito simples, quase que parece um simples café. E por isso as expectativas não eram muito altas. Fomos brindados com um Crocante de Alheira. Ainda estou a salivar por esta tapa. Era alheira envolta em pão ralado japonês, molho especial e especiarias. A alheira estava acompanhada por três chips. Confesso-vos já que esta foi a tapa na qual votei para avaliação final de todos os que andaram pela rota. O crocante era divinal e depois no interior encontrávamos uma alheira macia e saborosa. O molho não faço ideia do que era, talvez um agridoce. Ainda perguntei ao empregado mas ele não me disse muito. Só confessou que usavam stevia em vez de açúcar. 
Fomos muitos satisfeitos com esta tapa e já seria difícil que a última a superasse.


Ària23 foi o último espaço que visitámos e posso dizer que acabámos em grande. O local era simples e descontraído. Não mudámos a opinião em relação à tapa preferida, mas esta também nos encheu a alma e o estômago. Era pão de focaccia com escalope de frango panado, cogumelos, queijo gratinado, alface, tomate, cebola krispy, maionese, molho pesto e batata brava. Conseguíamos sentir a fusão de sabores de todos os ingredientes e ainda sentir o crocante do panado.
As batatas eram bastantes picantes mas comiam-se bem. Aqui a quantidade não desiludiu e fomos muito bem servidos. Em quantidade, foi o melhor espaço que visitámos.


Foi um final de tarde muito bem passado a petiscar, a rir e sobretudo quebrar a rotina!
Não deixem passar esta edição e até Domingo peguem no vosso mapa!